Marileide Rayane de Macedo da Silva, Gabrielle Caroline dos Santos Garcia

https://soundcloud.com/associacao-de-arquivistas-de-sp-arq-sp/audioposter-de-glenda-silva-rodrigues


Título: “Centro de Memória-Unicamp: 35 anos - 35 lugares”: análise de uma ação de difusão em arquivos

Área temática: Descrição, acesso e difusão

Autores: Marileide Rayane de Macedo da Silva, Gabrielle Caroline dos Santos Garcia

Palavras-Chave: Difusão, Memória, Identidade, Arquivologia, Centro de Memória-Unicamp.



Resumo: A difusão em arquivos é uma questão fundamental não só para a divulgação do acervo de uma instituição, mas também do trabalho técnico ali realizado, entendendo a somatória de ambos como parte essencial da identidade arquivística. Este trabalho, orientado por João Paulo Berto, busca apresentar os percursos traçados pelo Centro de Memória-Unicamp no que tange à difusão de seu acervo, entendida como parte essencial do fazer arquivístico interdisciplinar desenvolvido pela instituição. De modo específico, apresenta-se um produto deste serviço de difusão, analisando-o como articulado à identidade do Centro enquanto instituição de memória voltada à preservação da história local. O Centro de Memória, órgão da Universidade Estadual de Campinas, é responsável por preservar e disponibilizar um rico e diversificado acervo documental relacionado à cidade de Campinas - São Paulo e região, atuando desde a captação até a difusão dos documentos, além de realizar pesquisas e publicações de livros e periódicos de caráter interdisciplinar, com ênfase na articulação entre memória e história. No ano de 2020, as novas realidades impostas pelo surto pandêmico levou a equipe da área de Difusão da instituição a refletir metodologicamente sobre sua atuação, o que gerou uma expansão de suas estratégias, em especial aquelas destinadas a apresentar e aproximar o acervo do público em ambientes virtuais. Um dos produtos articulados pela equipe de funcionários e estagiários voltou-se à comemoração dos 35 anos de fundação da instituição (1985-2020), sendo intitulado “Centro de Memória: 35 anos - 35 lugares” e lançado no dia 1° de julho de 2020. Durante 35 dias (em alusão aos 35 anos), foram postados nas redes sociais do Centro textos e imagens relativos a lugares importantes para as histórias e as memórias de Campinas e de seus habitantes. Como estratégia institucional, o projeto visou destacar as intensas relações do acervo pertencente ao Centro para a construção de reflexões sobre a cidade e estimular as memórias coletivas. Este último ponto foi extremamente importante, uma vez que permitiu trabalhar com as múltiplas lembranças de uma Campinas antiga, estimulando os seguidores das páginas do Centro a relembrarem situações vividas nas determinadas localidades e, até mesmo, da época destacada. As publicações instigaram e deram origens a diversas discussões, positivas e negativas, com opiniões variadas dos moradores e frequentadores da cidade a respeito das transformações nela ocorridas. Em linhas gerais, percebeu-se o quanto os documentos configuraram-se como semióforos capazes de despertar sentimentos nostálgicos. O desenvolvimento da proposta possibilitou diferentes análises acerca do funcionamento da Difusão na instituição e seus efeitos na e para ela. Ao invés de estabelecer uma abordagem descontextualizada dos conjuntos documentais, pretendeu-se construir uma articulação que levasse em conta a história local e seus agentes, sem perder de vista as intensas relações que, cotidianamente, moldam a identidade do Centro de Memória.

53 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo